Escritores Nacionais- Ela, a fiel companheira.

25 de julho de 2017


(Imagem/Reprodução) 

Olá meus amores! Para quem não sabe eu estou com um novo projeto aqui no blog! No qual toda semana, na terça feira, vou postar um texto de vocês! Vou explicar melhor. Eu sou apaixonada por crônicas, poemas... e vejo muitas pessoas talentosas, mas que infelizmente não são tão conhecidas assim, então para da um empurrãozinho e incentivar a literatura brasileira, vou está postando o texto dessas pessoas. Então se você escreve, está super convidado a postar aqui também. Me mande por e-mail seu texto e logo vai está aqui!



Então o primeiro autor que vai aparecer aqui com a gente é o escritor e poeta Rui Sampaio. Ele escreveu o livro "O Poeta Amargo", que inclusive a poesia que vou deixar aqui para vocês lerem faz parte desse livro. Para quem quiser saber um pouco do livro segue a sinopse abaixo:

"A poesia pode ser uma forma de expressão, uma maneira de enunciar-se, de vomitar o que se sente, pode também ser um fingimento, uma vontade de sentir algo ou de fugir de si mesmo, pode ser algo que lhe acalma, que lhe anima, que limpa a alma, pode ser uma necessidade, uma maneira de expurgar a dor, a raiva, de aliviar o coração e falar com rimas quando o momento pede que se cale, quando você não pode gritar. A poesia pode ser algo belo que você deseja escrever porque está apaixonado ou simplesmente porque acordou feliz, pode ser uma forma de gratidão e de conectar-se com o divino, poesia também pode ser crítica social, uma forma de protesto, de reflexão, pode ser liberdade, uma maneira de dizer o que é preciso, de falar sobre tolerância, sobre justiça, sobre as mazelas humanas, sobre sociedade, consciência e evolução, poesia é arte e também filosofia, afirmação e negação. Nesta obra o “poeta amargo” faz tudo isso, usa a poesia de várias maneiras e com vários objetivos, de forma a eterniza-se em cada alma que se identifica com seus versos ou que nela encontra inspiração e motivação para a vida."


Para quem se interessou no livro ele já tem a pré venda no site da Editora Buriti.

Agora chega de enrolação e vamos a poesia maravilhosa que ele escreveu, que se chama
"Ela, a fiel companheira."

Quem há de entender minha amiga?
Quem há de acolhê-la?
De fazê-la sua companheira?
Quem dela não terá medo?
Eu já não tenho receio
Em aceitá-la.
Não, não falo da morte
Para alguns o vocábulo até se aproxima
Antes eu a chamava falta de sorte
Agora é o prazer da minha rima
Minha simplória poesia
Já não rejeito nada do que vem dela
Sem magoas, sem lamentos
Sem injurias, sem medos
Eu abracei a solidão
Segurei na sua mão
E dancei com ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Brenda Caroline - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Brenda Caroline.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo