Sustentabilidade? A Era da "Moda Circular"

28 de março de 2018


Imagem/Reprodução.

Aproveitando o termo "economia circular" as empresas de vestuários não esperaram passar a oportunidade para agregar uma moda sustentável também. As principais instituições mundiais de roupas, estabeleceram acordos para adotarem um futuro a moda. 
Em maio de 2017, quando aconteceu mais uma edição do Copenhagen Fashion Summit, o maior evento comercial mundial de moda sustentável, foi colocado a aceleração da transição da moda circular. Esse acordo obteve apoio de 64 empresas de moda, no qual já começaram a compartilhar os seus objetivos individuais.

Imagem/Reprodução

Ainda não sendo o suficiente, com a impaciência em acelerar a necessidade do desenvolvimento sustentável, a Copenhagen Fashion Summit, irá dá início a sexta edição de um evento para soluções sustentáveis, Innovation Forum, com duração de dois dias, nos dias 15 e 16 de maio.
A moda parece estar em uma nova era, onde várias marcas buscam pelo menos mostrar interesse em uma moda sustentável. Esse é o momento ideal para começarmos questionar mais sobre a cadeia de produção das roupas em que compramos.
 A questão é aproveitar o momento como consumidores para estarmos ciente sobre como as nossas roupas são feitas, e principalmente questionar as marcas que estão disposta a fazer essa mudança.
Essa ansiedade em começar desenvolver roupas, buscando o reaproveitamento delas é algo preocupante. Mesmo que a ideia de finalmente grandes empresas mostrarem interesse em serem éticos e se preocuparem com o meio ambiente, o reaproveitamento de resíduos e os cuidados com a natureza vem sendo abortado há anos.
“Não adianta falar uma coisa e fazer outra. Nem usar máscaras para esconder suas verdadeiras intenções.” - Edilene
A indústria de moda tem uma forte influência no mercado, já que existem produtos que podem ser extintos e aqueles que sempre estarão presentes, como as roupas
É necessário sermos mais críticos e analisarmos se os acordos que as marcas fazem, é realmente uma preocupação com o futuro e o meio ambiente, ou é uma estratégia. 
A boa utilização dos recursos naturais, pode ser uma ótima alternativa para levar o aumento do consumo, aumentando as vendas das marcas em questão.
Não podemos esquecer também, que infelizmente ainda nesse cenário há diversos fatores ruins que a moda carrega. Como, o trabalho escravo, a exploração de animais e também falsas imagens de um padrão que causa inúmeros transtornos na sociedade. 
Será que essa nova era, vai ser realmente suficiente para revolucionar e fazer a diferença? Ainda existem muitos pontos que devem questionados, principalmente para as empresas que estão envolvidas.

Apego: Você é a única pessoa que pode mudar isso.

23 de março de 2018


Todos esses sentimentos de tristeza, e de que está faltando algo, acontece por uma razão. O apego.

Sabe quando você muda de escola, ou de cidade e você fica triste por isso? Quando você termina um namoro, e mesmo que aquele relacionamento não esteja mais te fazendo bem, você continua triste?

Aquele momento que você precisa cortar o laço com aquela amizade antiga, mesmo que vocês já não estejam conversando mais. Quando para de correr todos os dias, e passa a sentir falta daquilo.

Todos esses sentimentos de tristeza, e de que está faltando algo, acontece por uma razão. O apego.

Você se apega a aquela pessoa que te chamava todos os dias de manhã. A comida pronta que sua mãe vazia. A companhia do seu animal de estimação. Aquele trabalho, ou lugar que você estudava.

Mesmo que aquilo não te faça mais bem, você se apegou a isso. Você fez com que isso se torna-se um hábito. Consequentemente a ausência disso, te gera a sensação de que falta alguma coisa, mas nunca faltou.

Às vezes é difícil entendermos que as coisas vão passar em algum momento.

Que aquele sentimento bom e gostoso, mas que em algum momento te causou dor, também passará. É complicado se convencer que está tudo bem, quando o mudo parece cair sobre você.

 Mesmo que você se lembre de quantas vezes machucou e cicatrizou, acreditamos que dessa vez, esse machucado sempre estará aberto. Mas não estará. Nunca vai estar.

Você é a única pessoa que tem controle da sua vida.

Só você tem o poder de escolher o que você vai fazer daqui para a frente. Sentir a dor e permitir que aquela sensação de vazio, que a mudança do seu cotidiano te causa é necessário. Porém, você precisa fazer uma decisão difícil agora. Amanhã quando acordar entrará em um novo caminho ou permanecerá no mesmo?

Apego. Apegar. Ape. Gar. Pegar. Apego. Você escolhe o que você quer fazer agora. Se apegar? Pegar? Tornar algo parte do seu ape? Ou procurar uma nova moradia.


Dilema

15 de março de 2018

Foto: Pinterest
A campainha tocou. Abaixei o volume da música e ajeitei o cabelo, estava organizando a casa. Gritei um “já vou” e me encaminhei até a porta para abri-la. Meu susto oscilou entre a paralisação e um abraço súbito. Você estava diferente, mas vestia o mesmo sorriso de sempre. A barba estava maior que nunca, o suéter verde água contrastava com a pele morena e o jeans surrado fazia jus ao estilo. De um lado a mala e do outro uma muda de flores. Te chamei para entrar e disse para não reparar a bagunça. Do cabelo ou da casa? Você perguntou.
Rimos juntos. Só você para se sentir tão à vontade assim. Foi até o armário, pegou o café, colocou água para esquentar e enquanto esperava ferver me puxou para mais um abraço apertado. Eu sabia que estava na cidade, mas não imaginava que iria vir me visitar. A última vez o café tinha acabado. Enquanto o café não ficava pronto, eu ajeitava um lugar adequado para as flores.
Você disse que eu amaria conhecer os países da Europa que visitou dessa vez. Tenho certeza que sim, mas enquanto não finalizar os projetos não conseguiria sair da cidade. Você coçou a cabeça e eu sabia que minha resposta não o agravada. O que foi? É que você sempre diz isso: projetos, trabalho, estudos. Quando vai deixar isso de lado e viajar comigo? Você não entende. Não entendo. Ficamos em silêncio, o único barulho era da água fervendo, que logo você jogou dentro do filtro com café.
Você pegou duas canecas, serviu, abriu a geladeira encontrou o chantilly e acrescentou no café. Sentou-se no chão da sala encostado no sofá, bebeu um gole e me chamou para sentar ao seu lado. Sentei-me e sentia meu coração querer pular fora. Eu já sabia o que vinha agora, mas não estava preparada. Não agora. Bebi o café com chantilly, aquilo estava uma delícia. Não podemos ficar assim para sempre. Eu olhei para você e não consegui responder. Encostei a cabeça no assento do sofá, fechei os olhos e fiquei pensando em como recusar mais uma vez a proposta.
Encontrei uma casa legal em Brisbane. Sei que você prefere apartamentos, como esse aqui, mas a casa tem tudo a ver com você. Não fechei o negócio ainda. Você não acha muito equivocado? Equivocado? Eu podia sentir a sua raiva vindo. Estamos nessa há mais de quatro anos. Antes você dizia ser os estudos e então, te esperei, depois a desculpa de estabilidade financeira, agora os projetos e emprego. Como você acha que é para mim? É mais difícil para eu que fico… Então porque não vem? Balancei a cabeça.
Escuta, estou voltando para lá na sexta. Comprei sua passagem, se você se decidir sabe o que fazer. Você bebeu o último gole, deu um beijo na minha testa, deixou a passagem em cima do sofá e saiu pela porta.
Fiquei ali, olhando para a passagem, em um dilema e sem saber o que fazer.

Orquestra Outro preto completa 18 anos!

14 de março de 2018

Finalmente a Orquestra Ouro preto completa 18 anos, e nessa temporada está com um agenda cheia, novas parcerias e ações!

 (Imagem/Reprodução)

A Orquestra Ouro Preto criada em 2000, finalmente completa seus 18 anos de muita jornada e dedicação.  Durante está temporada, a Orquestra apresenta várias novidades e uma agenda repleta de estreias, gravações, turnês e novas parcerias.

Para começar, além de patrocínio com grandes empresas como a Pif Paf, Vale e SulAmérica, ela também conquistou uma pareceria importante com o Sesc em Minas. Pode se dizer que o Sesc Palladium tornou-se sua segunda casa, já que ele estará aberto para ensaios, e várias apresentações ao decorrer do ano.  O grande início dessa jornada, acontecerá nesse domingo, dia 18 de março, com apresentação do concerto The Beatles Volume 2, ás 11h no Grande Teatro Sesc Palladium.

Para fora, outras grandes atividades serão realizadas e entre elas terá o lançamento de um DVD em Junho, com o tema “Música para cinema”, no qual escolheram algumas trilhas sonoras de filmes clássicos, gravado em Ouro Preto. O Pequeno Príncipe também será um destaque para as crianças dia 14 de outubro, é um projeto junto com um Teatro de bonecos que será desenvolvido. Em novembro, terá a apresentação “O circo de Charles Chaplin”, um clássico do cinema, no qual a Orquestra fez questão de trazer a trilha sonora com imagens do filme.

“Fala Maestro!” Uma ideia incrível de interação com o público.

Uma das atividades que a Orquestra apresentará esse ano é uma oportunidade do público poder interagir e não só escutar a Orquestra, mas aprender um pouco mais sobre a música. Todo concerto terá um bate-papo 30 minutos antes da grande apresentação, onde todos poderão se sentir à vontade para interagir.

“Orquestra Ouro Preto 18 anos. Finalmente podemos lhe convidar para tomar uma cerveja!

Por fim, aproveitando esses 18 a Orquestra Ouro Preto me surpreendeu com uma estratégia inacreditável em comemoração. O lançamento de uma cerveja artesanal, a “escolha do maestro”, enfatizando a cultura mineira e deixando uma ideia mais “à vontade” com seu público.



Moda sustentável! Você sabe o que consome?

7 de março de 2018

A moda sustentável se tornou algo popular, mas poucas pessoas procuram saber como as roupas que consomem são produzidas.

O consumo e a sustentabilidade se tornou algo popular entre os consumidores, já que cada vez mais as pessoas enxergam um problema em comum, a compulsividade. Entretanto, a mudança no comportamento contemporâneo felizmente intuiu  marcas de vestuário a adotarem essa alteração na produção de suas peças, e novas marcas começarem suas coleções tendo em mente a busca de uma moda sustentável.  

Atualmente, precisamos de marcas que estejam dispostas a ter uma cadeia de produção do início ao fim, analisando toda a caminhada da fabricação, desde os fornecedores até ao acompanhamento dos produtos. É necessário roupas que possam ser reutilizadas, já que felizmente há marcas que empregam o Upcycling, o aproveitamento de resíduos para novos produtos.

É muito comum as pessoas comprarem roupas de uma determinada marca pelo forte engajamento dela no mercado, e não se certificarem ou se perguntarem como foi feito a produção daquela peça. Seria terrível pensar que muitas linhas utilizam processos como o trabalho escravo, a exploração de animais e o desmatamento, mas lamentavelmente é algo que está presente no nosso cotidiano. 

Culpar as industrias têxtil pela sua degradação e por se tornarem fortes empresas poluentes é simples, mas os responsáveis por essa situação devastadora somos nós. Quanto mais compramos produtos em que negamos saber a origem dele, mais incentivamos a progressão desse processo.  Mesmo que haja algumas marcas que procurem fazer a diferença em meio de recursos ligados a sustentabilidades,  isso não é o suficiente se não começarmos a rever o que consumimos. 

Não existem mudanças se elas partirem apenas de uma pessoa, mesmo que existem marcas que ainda utilizam as fontes de forma equívoca, outras estão dispostas a fazer a diferença. Mas o que você está fazendo para mudar esse cenário? Precisamos entender o problema e fazer nossa parte também. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Brenda Caroline - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Brenda Caroline.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo