14º Professional Fair- Segundo dia

19 de julho de 2017



Dia 10, na segunda feira, rolou o segundo dia da Professional Fair, e mais uma vez eu pude comparecer e anotar as novidades para vocês. Confesso que o segundo dia de evento foi bastante cansativo, já que andei a feira toda, passando por vários estandes, mas no final disso tudo eu tive o prazer de conhecer marcas incríveis, no qual algumas delas se tornaram parceiras aqui do blog! 

Se você que chegou por aqui agora e não faz ideia do que estou falando, calma. Tem um post que contei sobre o que é a Professional Fair e sobre o primeiro dia de evento. 

Bom, para começar assim que cheguei na Feira eu já fui surpreendida já que o cabeleireiro Mendonça Xavier tinha me convidado para cortar o meu cabelo e fazer um penteado! Mas calma, foi só as pontas! Ele usou uma técnica muito legal, que tira os quebrados e as pontas duplas, mas não tira o comprimento do cabelo. Isso não é incrível? Para quem tiver curiosidade de conhecer um pouco mais o trabalho dele, ele tem um Instagram que mostra.

A primeira marca que tive o prazer de conhecer foi a Venutti, eu fiquei encantada com o atendimento da Venutti, as mulheres que me atenderam me tratou com muito carinho e fiquei muito agradecida por isso. A marca tem várias variedades de produtos, com linhas para todo tipo de cabelo, inclusive para cabelo cacheado, Luminous Curls, no qual me disponibilizaram o shampoo e a máscara que já estou encantada. Estou testando e logo vai ter resenha aqui no blog. 

Ultimamente eu estava louca para testar novas marcas de esmaltes, já que estava a procura de alguma que secasse rápido e tivesse uma pigmentação boa. E eu também tive o prazer de conhecer a marca Cuccio Pro. Fiquei muito feliz já que me disponibilizaram dois esmaltes da marca, na cor que eu escolher, e é claro eu escolhi um vermelho, e um tom de azul com brilho. Eu já testei, mas depois vou fazer uma resenha explicando certinho o que eu achei.

Acho que a maioria de vocês já devem conhecer a marca Koloss, que é uma marca de maquiagem bem legal e bastante conhecida. A Koloss marcou presença na Professional Fair esse ano, e é claro, que eu não deixei de ir lá visitar o estande. A marca tem bastante variedade de produtos e eles também me disponibilizaram alguns dele, sendo um blush, coral médio, uma sombra cinza, cor 207 e um esmalte lindo, metálico. 


Outra marca de maquiagem que eu também visitei, foi a Griffty. Eu já começo falando que adoro os produtinhos dessa marca. Porque além de ter preços super acessíveis, eles são muito bons, pois possui uma ótima pigmentação. Ano passado eu tinha comprado um blush na própria Professional Fair, laranja, que é minha cor preferida para blush, e eu tenho ele até hoje, sendo que uso ele todos os dias. Como ele é um blush bastante pigmentado, da para usar em pouca quantidade e acaba durando bastante. A Griffty esse ano me deu um batom matte, uma batom cintilante rosa, cor 60, um blush, cor 03 e um pincel de blush maravilhoso.

E por último, outra marca de beleza que eu  conheci foi a Nátylla Hair, que é uma marca para produtos de cabelo. Que aliás tem produtos maravilhosos e também contém linhas para todos os tipos de cabelo. A Naty me deu um kit para cabelos cacheados, que é da linha Humidifier Cachos, trazendo leveza nos cachos. Logo, também vai ter resenha desse kit.



Bom, isso foi resumido do que rolou no segundo dia da Professional Fair, fiquem ligados, que logo vai ter post do último dia do evento. 

Resenha: Quem é você Alasca?

15 de julho de 2017

Título: Quem é você Alasca?
Autor: John Green
Editora:Intrínseca 
Sinopse: "Miles Halter estava em busca de um Grande Talvez. Alasca Young queria descobrir como sair do labirinto. Suas vidas colidiram na Escola Culver Creek, e nada nunca mais foi o mesmo.
Miles Halter levava uma vidinha sem graça e sem muitas emoções (ou amizades) na Flórida. Ele tinha um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história. Uma dessas personalidades, François Rabelais, um poeta do século XV, disse no leito de morte que ia “em busca de um Grande Talvez”. Para não ter que esperar a morte para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir. Ele vai para a Escola Culver Creek, um internato no ensolarado Alabama.
Lá, ele conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O general em seu labirinto , de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: “Como vou sair desse labirinto?” Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez. Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, mesmo tentando sem sucesso decifrar o enigma de seus olhos verde-esmeralda."


Primeiramente, estou apaixonada por esse livro! Mas gente! Que livro maravilhoso! Vou começar fazendo essa resenha confessando, que apesar de ter alguns livros do John Green (Cidade de Papel, A Culpa é das Estrelas, O Teorema Katherine, e Quem é você Alasca? ) , eu nunca me encantei tanto com as obras dele. Eu realmente gosto muito dos livros do John, mas não chega a ser aquela coisa que você quer ler de novo, e ler rápido e já coloca na sua lista de favoritos, mas o "Quem é você Alasca?" me conquistou!

Esse livro conta a história de um jovem, Miles, viciado em gravar as últimas palavras.  Ele morava na Flórida,  mas então ele vai para um internato no Alabama, Escola Culver Creek, onde conhece pessoas divertidas, como Alasca Young.

Quando Miles, vai para o novo colégio, ele sai daquela vidinha sem graça e começa a experimentar novas aventuras, seja ela pregando trotes, fumando, bebendo e se divertindo.  E então no decorrer da história ele passa essas aventuras com Alasca e o Coroneu, até que Miles percebe que está apaixonado por Alasca, mesmo ela sendo uma garota, inteligente, louca, engraçada incrível, sexy e indecifrável.

O livro em um todo é muito gostoso de ler. Sua escrita é de forma bem simples de interpretar, e sempre deixa um gostinho de "quero mais".  Ele não é dividido em capítulos, e sim em duas partes, a primeira "Antes", e a segunda, "Depois". Pra não dar spoiller, eu não vou contar para vocês o porquê do " antes" e do "depois", mas basicamente, ao invés de capítulos, ele deixa datas, por exemplo, "50 dias antes" e então ele conta o que aconteceu nesse determinado dia. O legal disso é que geralmente quando a gente lê, pelo menos eu, eu nunca paro no meio de um capítulo, pelo menos evito, então sempre fico naquela de ficar ansiosa para acabar um capítulo, e com o livro divido dessa forma, é bem fácil de ler, porque costuma ser bem pouco esses dias, então da para ler vários de uma vez.

O legal é que o estilo da história, é bem parecido com aquele tipo de filme de escolas americanas, só que o livro tem um jeito único dele. Não é aquela coisa do garoto que se apaixonada pela garota mais popular da escola, ou vice versa, e no final eles ficam juntos, não tem a ver com isso, é muito mais do que isso. E além de que, o livro não se resumi em romances clichês, durante a leitura, você vai da muito mais gargalhada porque conta a história de amigos ser divertindo, mas em um determinado momento, você vai se emocionar, chorar, e talvez ficar um pouco chateado com o John.

"O medo não é uma desculpa, o medo é uma desculpa que todo mundo sempre dá" -Alasca"

Essa sem dúvida é minha frase preferida do livro, durante a leitura, vocês vão descobrindo o quão incrível é a Alasca, e vão se apegar não só a ela, mas ao Gordo (Miles) e o Coronel. Enfim, vale super apena ler, é um livro muito gostoso, é um dos meus livros preferidos, e super recomendo para vocês. Se você já leu, me conte aqui nos comentários o que achou, e se não leu, leia, mas me conte também qual livro você está lendo no momento!

14º Professional Fair- Primeiro dia

13 de julho de 2017

E mais um ano eu tive a oportunidade de participar da Professional Fair nos três dias de evento, anotando as novidades, conferindo os lançamentos e ainda conhecendo marcas incríveis que tive o prazer de ser parceira. E é claro que hoje eu vou contar pra vocês o que rolou no evento. Como o post acabou ficando grande, eu vou dividir ele em três post, um contando as novidades do primeiro dia, outro do segundo e por fim do terceiro, de forma mais resumida e completa.

Bom, para quem não sabe do que estou falando e ainda não conhece a Professional Fair, calma, que eu vou explicar. 

Trata-se de um evento que acontece anualmente aqui em Belo Horizonte, no Expominas, durante três dias, no qual nada é mais do que uma feira de beleza profissional, reunindo diversas empresas e marcas, sendo muita delas conhecidas mundialmente. Esse ano foi a 14º edição de evento,e  tivemos a participação de algumas pessoas famosas como o Rodrigo Cintura e a querida Lívia Andrade.Além disso teve lançamentos de alguns produtos de algumas marcas, cortes e penteados ao vivo, e  esse ano entre as marcas que estavam lá, as mais conhecidas, foi a Catherine Hill, Dailus mais um ano, Olenka, Salon e entre outras.




No primeiro dia do evento, dia 9 de julho, no domingo,  eu usei o look mais quentinho já que estava um pouco frio. E eu passei só em alguns estandes, e olhando como estava a feira no geral. Dentre os que eu passei, eu visitei o estande da Dailus que está com uma super novidade de "Nude cada um tem o seu". Que é uma coleção de produtos em tons nudes, sendo esmaltes, sombras, batons, etc. E as cores são lindas e muito bem pigmentadas. A Dailus me disponibilizou um batom, que não faz parte dessa coleção, e sim da coleção Dailus PRO, ele é em forma de lápis, pode ser usado no contorno dos lábios, ele tem alta cobertura e hidratação, e tem FPS 08 protegendo os lábios dos raios solares.O meu é da cor 04- Pink Sexy.


Outra marca de maquiagem que passei no primeiro dia, que estava lá é a Ricosti. Ela está com lançamento da base líquida com efeito matte, secagem rápida, maior cobertura e efeito aveludado. Além disso, também está com o lançamento da máscara de cílios com óleo de árgan e pró vitamina B5, e a máscara é uma três em um, já que promete alongar, definir e da volume. A ricosti me disponibilizou um batom líquido matte, da cor Lauren.

A Plancton Professional, também foi outra marca que eu passei no estande no primeiro dia, eles me disponibilizaram várias amostrinhas e mínis potinhos de creme, o que me deixou apaixonada. Dentre esses potinhos e as amostrinhas, veio das coleções, "Não desespere, repare!", que é desenvolvida com intuito de atender as mulheres que querer ter um cronograma capilar completo e eficaz. Teve o "Banho de Verniz", desenvolvido para cabelos que precisam de reposição lipídica.  O "Whey Protein Capilar", que tem efeito rápido na recuperação de cabelos danificados, trazendo força e crescimento. "Quiabo", indicada para revitalização intensiva para os cabelos. The Grand Cru, que é um shampoo que ajuda os cabelos que tem progressiva se tornarem mais lisos. "Creminho da Hora" , para cabelos totalmente danificados, e o "Detox", desenvolvido para todos os cabelos expostos em poluição. restaurando e devolvendo o brilho natural.


E o estande que passei no primeiro dia, foi o da Minas Flor, que está com um lançamento da "Mystique", sendo um linha de cristalização e proteção da cor, deixando os cabelos mais brilhosos. Ele é composto por óleo de Monoi, aminoácidos e filtro solar.  Eu ganhei algumas amostrinhas da Minas Flor da coleção "Yes cachos" composto por aminoácidos, vitaminas e queratina, que hidrata e ativa os cachos.

Então do primeiro dia foi isso, fiquem ligados que logo, mostro o que mais rolou no segundo dia da Professional Fair. 

Padrões/ Classes baixas/ Frustrações /Realidade

30 de junho de 2017

Resultado de imagem para charge educação escola publica x particular

Tudo começa com os padrõezinhos de merda imposto pela sociedade. Os padrões que impõem que devemos nascer, estudar, ir para uma faculdade, trabalhar, casar ter filhos e por fim morrer.  Que vidinha sem graça. Mas querendo ou não, somos influenciados a fazer isso. Começa quando somos pequenos, e vemos filmes de namorados se casando, ou de pessoas se formando na faculdade dos sonhos. Começa quando os nossos pais nos matriculam na escola e nos obrigam a estudar, dizendo aquela velha frase de que, "você precisa estudar para ser alguém na vida". Ai tem aquele crush, aquele amor platônico, e então a gente entende que precisa se basear nessas pessoas, já que não podemos ser como aquela moça do Alice no País das Maravilhas que ficou solteira.  Ficamos frustados em estudar, ter um emprego bom, e não ficar sozinho. E então eles te deixam escolher no que você quer se profissionalizar e com quem se casar. Pra não falar que estão te obrigando a fazer alguma coisa. Mas em uma questão de a, b, c, e d, não tem a opção, não casar, não escolher uma profissão "decente" e apenas viver.Resultado de imagem para charge educação escola publica x particular
Cerca de mais da metade da população são de classes C, D e E. E a maioria dos estudantes dessas classes se matriculam em redes públicas já que é a única fonte de ensino que o governo nos oferece. Ah mas não podemos esquecer que temos a opção de tentar uma bolsa em uma instituição privada ou em uma escola federal, mas é claro fazendo uma prova. Ai que começa a questão, o ensino público te ensina algo super artificial do que é cobrado nas provas para você entrar nessas instituições. Na escola pública, te passam atividades e provas, com um grau de facilidade muito mais simples do que as provas que você vai precisar fazer para passar. Resumindo, pra você conseguir entrar em uma instituição privada, ou federal, seja pra fazer o ensino médio ou para fazer uma faculdade, você precisa de um conhecimento bem maior do que te oferecem.

Então você têm três opções:

  1. Pagar um cursinho.
  2. Tentar bolsa em um cursinho.
  3. Estudar sozinho.


1- Se você optar por pagar um cursinho, por ser de classes baixas, você vai passar por dificuldades para pagar. Já que um cursinho custa em média R$300, R$400 mensalmente.  O salário mínimo atualmente, está R$937,00, ou seja, é justamente o salário que o governo nos oferece para viver. Resumindo novamente, um cursinho é quase a metade desse salário. E um salário minimo não arca com o custo de vida do brasileiro.

2- Se você tentar a bolsa em um cursinho, você vai precisar estudar por conta própria e orar para que o seu ensino de escola pública sirva para passar em uma prova.

3-  E por último você faz igual a mim, vender miçanga para pagar um cursinho online que é o mais barato, escutar zoações desnecessárias por isso, e estudar em casa por conta própria.

Vamos jogar a real, sabe o que acontece quando você estuda por conta própria? Não é aquela flores igual a gente vê nos vídeos do youtube de pessoas estudando o tempo inteiro, sorrindo e acertando tudo. Você passa mais tempo criando cronogramas de estudo do que fato estudando, você tem que fazer um milagre de tirar um tempo no seu dia pra estudar, já que você estuda, faz algum cursinho de graça, ou trabalha, ou ajuda seus pais em casa. Você faz simulados que você acha gratuitos na internet, e passa a cada dia se achar mais lixo por não consegue resolver, você para de viver só pra estudar e por fim, você estuda, estuda, estuda e descobre que nunca é o suficiente.

É exatamente isso que o Estado faz. Ele te pede pra carregar três pacotes de arroz, sendo que você só consegue carregar um. E mesmo você se esforçando, e mesmo você vendo uma mídia caluniadora, que mostra a guria que passou na faculdade de medicina em primeiro lugar estudando em uma escola pública, eles não te mostram o que ela fez pra passar, e esquecem que nem todo mundo tem a mesma facilidade e o mesmo meio pra estudo.

Deixe-me te apresentar a realidade de pessoas de classes baixas. Você estuda em uma escola pública que muitos professores não te ensinam o que está na ementa, e que te empurram para diminuir a taxa da analfabetos do país. Você fica frustado por não conseguir a faculdade dos sonhos. As empresas não contratam as pessoas pelo seu conhecimento e sim pela sua aparência. Elas te pedem pra você ir para uma entrevista usando, polo, não utilizando gírias, e se comportando, porque elas estão mais preocupadas com sua aparência e a forma de como você se comporta do que de fato o quanto você está se esforçado e quanto você sabe. E mesmo quando elas procuram olhar a sua educação, pessoas que tem um ensino médio de meia boca não servem. Então você casa, e constrói uma família que nao consegue sustentar, e os seus filhos passam por dificuldades que você não gostaria que tivesse. Seja bem vindo.

O que aconteceu com a gente?

19 de junho de 2017



A gente só falar de amor. Sendo mais especifica, estou dizendo daquele amor entre casais, aquele cara que nos deu um pé na bunda, ou que a gente se relacionou e não deu certo, aquela dor insuportável que ele me causou e parece não ter fim. A gente só fala de amor. Amor entre casais. Mas dessa vez é diferente, sente-se, pegue uma xícara de café, se enrole no edredom, se aconchegue, clica no play e me escute...Eu quero falar de amor entre amigos. 

Eu pensei que existia algo de errado comigo. Eu realmente pensei que eu não sou uma garota digna de ter boas amizades, porque parece que, todas aquelas pessoas que eu quero levar para minha vida simplesmente desaparecem, desaparecem quando você mais precisa delas, quando mais você quer ter elas na sua vida. 

Será que o problema é meu? Será que eu fiz algo de errado? Será que não estou sendo uma boa amiga? As pessoas entram na nossa vida e sai tão rápido, sem avisar, que faz com que a gente fique com desespero, fica com medo, medo de perde-las. Medo de conhecer alguém novo e esse alguém for embora. Medo de vacilar. Medo de curvar naquela linha reta, medo de estragar tudo. E mesmo tentando, se esforçando para que os laços não se separem, e que não se torne uma boa lembrança, eles se vão, e você não pode fazer mais nada a não ser aceitar.

Eu amo os meus amigos. Amigos que não diriam o mesmo sobre mim, mas eu os amo, e odeio amá-los. Odeio tanto porque os coloco na frente de tudo, me entrego, me preocupo e me desabo quando estão ausentes.  Doí tanto olhar pra vocês e lembrar que um dia fomos tão próximos, um dia dividimos os nossos maiores segredos, e agora, vocês não estão mais aqui, parece desconhecidos, parece que nunca os conheci. 

As vezes a gente dá uma importância muito grande por pessoas que parecem não fazer o mesmo por nós. Talvez, porque esperamos que eles carreguem uma carga por nós, que talvez, não dão conta de carregar. Não os culpo por isso. É só um péssimo hábito de achar que as pessoas deveriam fazer o que fazemos por elas. 

Enfim, aqui estou eu escrevendo sobre algo que não queria escrever,  queria que esse fosse um texto fofo falando o quanto nossa amizade cresceu e estamos juntos nessa caminhada. Queridos idiotas, eu odeio imensamente vocês por amar tanto e sentir tanto as suas faltas Eu sinto muito por não ter uma continuidade feliz como imaginei que teria, mas sinto mais, por vocês não terem mais uma amiga tão boa como seria. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Brenda Caroline - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Brenda Caroline.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo